Download Parabolas de Jesus Completo Kistemaker PDF

TitleParabolas de Jesus Completo Kistemaker
File Size1.2 MB
Total Pages248
Table of Contents
                            APRESENTAÇÃO
PREFÁCIO
ABREVIATURAS
	ATR		Anglican Theological Review
	Livro da Bíblia
Introdução
Composição
Propósito
Interpretação
Princípios
Classificação
1. O Sal
2. Os Dois Fundamentos
3. Meninos na Praça
Aplicação
Paralelos
Conclusão
4. O SEMEADOR
Composição
Aplicação
5. A Semente Germinando Secretamente
Composição
Interpretação
6. O Joio e o Trigo
O Campo do Fazendeiro
Interpretação
Aplicação
7. O Grão de Mostarda
A Semeadura e o Crescimento
O Cumprimento
8. O Fermento
9. O Tesouro Escondido
10. A Pérola
Composição
Aplicação
11. A Rede
A Pesca
Explicação
12. O Credor Incompassivo
A História
A Lição
Aplicação
13. Os Trabalhadores da Vinha
O Trabalho e os Trabalhadores
As Horas e os Pagamentos
Graça
Aplicação
14. Os Dois Filhos
Interpretação
15. Os Lavradores Maus
A História
O significado
Aplicação
16. As Bodas
A parábola
Explicação
17. A Figueira
18. O Servo Vigilante
19. O Ladrão
20. O Servo Fiel e Prudente
O Servo Fiel
O Servo Infiel
Interpretação
21. As Dez Virgens
As Bodas
O Significado
Interpretações
22. Os Talentos
O Dinheiro Confiado
Dois Servos
Um Servo
O Senhor
O Significado
Conclusão
23. O Grande Julgamento
O Lado Direito
O Lado Esquerdo
Implicações
24. Os Dois Devedores
As Circunstâncias
A Parábola
A Mulher
25. O Bom Samaritano
Lugar e Povo
Implicações
Paralelos do Velho Testamento
Aplicação
26. O Amigo Importuno
27. O Rico Insensato
A Parábola
Conclusão
28. A Figueira Estéril
29. Os Primeiros Lugares
O Exemplo
30. A Grande Ceia
A História
Interpretação
Colocação
Aplicação
31. O Construtor da Torre e o Rei Guerreiro
As Duas Parábolas
Conclusão
32. A Ovelha Perdida
Aplicação
33. A Dracma Perdida
34. O Filho Pródigo
As Circunstâncias
O Filho Mais Novo
O Pai
O Filho Mais Velho
Aplicação
35. O Administrador Infiel
Composição
A História
	Aplicação
36. O Rico e Lázaro
Aqui e Agora
Então e Além
Aplicação
Conclusão
37. O Fazendeiro e o Servo
38. O Juiz Iníquo
A Viúva e o Juiz
Aplicação
39. O Fariseu e o Publicano
O Fariseu
O Publicano
Respostas
40. As Dez Minas
A História
A Parábola
Interpretação
Conclusão
Características Gerais
Características Literárias
Características Teológicas
Destinatários e Resposta
Representação
Bibliografia Selecionada
	Comentários
		Estudos
			Ferramentas
                        
Document Text Contents
Page 125

termos de um salário anual recebido por um trabalhador. As quantias
que o senhor confiou aos servos eram grandes, mas não
exageradamente vultosas.

Uma pessoa de posse reuniu seus servos e comunicou-lhes que
se ausentaria do país por um longo período de tempo. Ele tratou com
seus servos, não em base comercial, mas à maneira oriental, como
sócios em uma empreitada255. Sua reserva de caixa importava em oito
talentos, que ele confiou a seus três servos. O senhor conhecia seus
servos muito bem. Ele tinha aprendido a reconhecer a capacidade
deles e sabia que podia confiar-lhes sua riqueza. Esperava que
empregassem bem o dinheiro, de modo que, quando voltasse,
pudesse recompensá-los por incrementar seus lucros. Assim, deu ao
primeiro servo cinco talentos, ao segundo dois, e ao terceiro apenas
um talento.

Com certeza, contratos foram feitos acertando as condições
combinadas entre as partes. O capital, naturalmente, pertencia ao
senhor256. Em troca, o senhor poderia recompensar os servos
adequadamente, e eles poderiam esperar novas participações na
sociedade.

O primeiro servo investiu bem os cinco talentos, e logo havia
dobrado a quantia. Assim fez, também, o servo que recebera dois
talentos. Aquele a quem fora dado um talento, no entanto, teve medo
de investir. Talvez se sentisse diminuído pelo fato de ter sido confiada
aos outros servos uma quantia maior de dinheiro. Sabia que seu
senhor era um homem rigoroso, e que exigiria o lucro. Mas o lucro
conseguido com um talento seria pequeno em comparação com o
obtido com os cinco talentos, ou mesmo com os dois talentos do outro
servo. Então, não fez nada com o dinheiro, apenas o enterrou257.
Assim ficaria em segurança. Por ocasião da volta de seu senhor,
poderia devolver-lhe a soma original de um talento.

Dois Servos

Depois de um longo tempo, o senhor voltou e chamou seus
servos para o acerto de contas258. O dia do ajuste chegara. Os livros
foram abertos e cada servo prestou contas do dinheiro que lhe havia
sido confiado.

255 J. D. M. Derrett, “The Parable of the Talents and Two Logia”, ZNW 56 (1965):
184-95, publicado em Law in the New Testament, pp. 17-31. Veja-se
especialmente a p. 18.
256 SB, 1:970. Dos ensinos dos rabinos fica evidente que tanto o capital como o lucro
pertenciam ao senhor dos servos. Entretanto, se o servo fosse hebreu, podia
acumular o lucro para si mesmo.
257 De acordo com os rabinos, “o dinheiro só pode ser guardado (colocando-o) na
terra”, Baba Mezia 42a, Nezikin I, The Babylonian Talmud, 250-51.
258 Mateus 18.23.

Similer Documents